sábado, 25 de setembro de 2010

Paralisia do sono

Paralisia do sono é a estranha sensação de nao poder movimentar nenhum músculo do corpo.

Oi.
O último assunto aqui tratado, foi sobre as questões do sonho e a influência que ele exerce nas pessoas. Volto agora a me questionar sobre aquelas sensações que uma parte da população costuma sofrer à noite.

No sono normal durante o qual que se sonha, o cérebro está muito ativo, os olhos se movem rapidamente (este estágio é chamado REM, Rapid Eye Movement, ou MRO, Movimento Rápido dos Olhos) e todos os principais músculos corporais estão paralisados. Não estão rígidos e contraídos, mas muito relaxados. Estão paralisados porque os sinais que vêm do cérebro são incapazes de estimulá-los a se contrair. Essa paralisia é necessária porque se não fosse dessa forma você atuaria fisicamente nos seus sonhos. Normalmente as pessoas não percebem conscientemente a paralisia. Entretanto, ocasionalmente algo dá errado com o mecanismo, por exemplo, se você está muito cansado, se trabalhou demais, se está excitado ou preocupado. Nestas situações, você pode ficar paralisado antes de estar realmente adormecido, ou acordar e ainda encontrar-se paralisado por estar sonhando. Isto é chamado de "paralisia do sono".
Embora a paralisia do sono seja conhecida há muitos anos, existe muito pouca pesquisa sobre ela. Por exemplo, há evidências de que pessoas que sofrem de paralisia do sono são bem ajustadas psicologicamente, e não há nenhuma evidência de patologia ou doença associadas a ela.
Sabe-se que a sensação de presença pode ser criada estimulando os lobos temporais do cérebro. Eles estão acima das orelhas em ambos os lados do cérebro e lidam com a integração entre memória e experiência, com a imagem do corpo e muitas outras funções. Epilépticos freqüentemente têm o foco dos seus ataques nesta área do cérebro. Estimular o lobo temporal (por exemplo, com eletrodos ou com campos magnéticos) pode causar experiências de projeção astral, experiências místicas, sensações de flutuar e voar e também a sensação de que há alguém com você - mesmo que você não possa ver nada. O lobo temporal é especialmente ativo durante certas fases do sono e assim pode haver uma conexão aqui com a paralisia do sono. Algumas pessoas também têm lobos temporais muito mais instáveis do que outras. O que é chamado de "instabilidade do lobo temporal" pode ser medido, e as pessoas com altos graus nessa escala (com os lobos temporais instáveis ou altamente ativos) tendem a ser mais artísticas. Relatam mais freqüentemente experiências de déjà vu, místicas, mediúnicas e de projeção astral, e têm mais freqüentemente amigos imaginários na infância. Ainda não está claro qual a conexão com paralisia do sono ou se os fenômenos do lobo temporal podem ser responsáveis pela sensação de presença e pelas criaturas estranhas. Uma pergunta fascinante surge aqui. A pessoa está realmente acordada, com os olhos abertos, olhando de fato para o quarto e tendo uma alucinação a respeito da criatura? Ou é tudo sonho? O fato de que as pessoas parecem ver seus quartos normalmente e podem ouvir ruídos na rua ou no rádio sugerem que estão acordados, mas elas ainda pode estar com olhos fechados e tendo uma alucinação da cena inteira - o quarto incluído.

(Publi saúde - Paralisia do sono)

Veja agora o relato que me fez curioso sobre o determinado assunto, é de um amigo meu do colégio.

Na última quinta-feira essa sensação terrivel retornou depois de muito tempo. Eram 22:00 hs da noite, quando eu ainda me preparava para dormir. Geralmente não costumo dormir assim tão tarde, mas por eu ter chegado naquele dia muito cansado do colégio, resolvi dormir um pouco à tarde. À noite no meu quarto, quando eu já estava deitado, senti uma presença estranha no mesmo, e depois de muito ter ficado impaciente com essa sensação estranha, levantei e me dirigi até o sofá da sala. Por algum motivo eu me sinto mais seguro lá.
Me deitei e fechei os olhos. De imediato senti a minha respiração prender. As minhas tentativas de gritar, pedir ajuda, me mover eram completamente falhas. O pior de tudo é que conseguia ouvir tudo o que acontecia naquele instante. Não falo de vozes desconhecidas ou zumbidos estranhos. O que de fato agora convém é uma voz familiar, a voz da minha mãe que conversava em outro revestimento. Eu cheguei a olhar pelo canto do olho o lugar escuro e se não me faltava a visão, uma criatura baixinha e obscura estava sobre a minha cabeça. Era ela de fato quem me roubava as forças e não permitia que eu me retirasse dalí. Quando me senti quase sem forças parei de lutar contra o meu próprio corpo, foi quando eu retomei os movimentos e expliquei a minha mãe o que havia acontecido. Ela disse que isso acontecia com muita frequência quando ela era mais nova.
A verdade é que esse caso em especial começou no ano de 2005, quando eu tinha 12 anos. Antes eram sonhos constantes onde eu me via em um dos cômodos da casa. De repente surgiam vultos estranhos e me surpreendiam com esse mesmo ato paralisante, mas eu tinha certeza de que era apenas um sonho ruim.
No ano passado eu quase pude ter a certeza de que estava fora do corpo, e flutuando pela casa, quando alguma coisa me pôs de novo no lugar. Despertei logo em seguida.
Já tive várias explicações cientificas e religiosas ao respeito, porém nenhuma totalmente convincente. Se eu nunca tivesse passado por isso e alguém me contasse, concerteza não acreditaria tão facilmente, bem como não desacreditaria.


Bons sonhos, até a próxima!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário