quinta-feira, 19 de agosto de 2010

O último vôo

" O próprio viver é morrer, porque não temos um dia a mais na nossa vida que não tenhamos, nisso, um dia a menos nela"

Oi.
E aí, o que acharam da última história contada aqui no blog ? Sei que vou prestigiar várias visões diferentes, mas o que eu tenho a dizer hoje, é um fato extremamente triste. E eu sei que você vai ficar totalmente comovido com essa situação. Não se desespere! Só peço que tenha bastante calma, pois vou contar exatamente como tudo aconteceu.

Era fim de mais uma jornada escolar matinal. Eu e os meus dois amigos, nos dirigiamos ao ponto "final" de ônibus. Chegando lá, fizemos tudo como de costume. Conversávamos na espera da condução, e podemos perceber a presença de pombos na pista. (Onde passam os carros)
Logo pensei tragica e ligeiramente na possibilidade de um acontecimento. Quando
inesperadamente, nos demos conta da cena horrível presente à frente. Uma vida foi ceifada diante dos nossos olhos. "Não, não se assustem, porque foi só mais um animal inútil e irracional". <<-- Está errado quem pensa assim.
Logo depois, com a ida de uns para casa, restando eu então "somente". (Outro acontecimento) Com o passar de um carro, a "morte" foi jogada bem à minha frente. E eu pude ver absurdamente o quanto ela é feia. Ela é horrível!!-->> Brinquei um pouco, mas o caso é sério!
O que concluímos, é que basta estar vivo para morrer. Num instante você está alí, depois não está mais. E isso assusta! Porque não é nada fácil essa história de separação.

---------------------------------------------------------------------------------------------

Para isso fomos feitos:
Para lembrar e ser lembrados
Para chorar e fazer chorar
Para enterrar os nossos mortos
Por isso temos braços longos para os adeuses
Mãos para colher o que foi dado
Dedos para cavar a terra.

Assim será nossa vida:

Uma tarde sempre a esquecer
Uma estrela a se apagar na treva
Um caminho entre dois túmulos
Por isso precisamos velar
Falar baixo, pisar leve, ver
A noite dormir em silêncio.

Não há muito o que dizer:

Uma canção sobre um berço
Um verso, talvez de amor
Uma prece por quem se vai
Mas que essa hora não esqueça
E por ela os nossos corações
Se deixem graves e simples.

Pois para isso fomos feitos: Para a esperança no milagre
Para a participação da poesia
Para ver a face da morte
De repente nunca mais esperaremos
Hoje a noite é jovem; da morte, apenas
Nascemos, imensamente.

"Vinicius de Moraes"

Por favor: Um minuto de S I L Ê N C I O!















Muito Obrigado!
Até a próxima, se assim sobrevivermos!!

2 comentários:

  1. Quanto mais eu leio este blog, mais fico apaixonado. É simplesmente perfeito. Excepcional.

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado! Fico muito feliz em saber disso. Em saber que alguém entende o que faço.
    Isso serve de grande incentivo para eu continuar.

    ResponderExcluir